quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Ainda as prioridades públicas

Câmara de São Paulo corta verba para ações antienchente, mas não a de publicidade

A Câmara de São Paulo aprovou na terça-feira, em segundo turno, o Orçamento para 2010 com cortes nos recursos para combate às enchentes --como investimentos em áreas de risco e canalização de córregos--, mas manteve intacta a verba destinada à publicidade oficial.

A peça aprovada ontem, por 42 votos a 13, prevê receitas totais de R$ 27,9 bilhões, valor inferior ao apresentado pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) --R$ 28,1 bilhões-- e ao aprovado em primeiro turno na semana passada (R$ 28,8 bilhões).

Entre os cortes feitos pelo relator Milton Leite (DEM) estão R$ 70 milhões para a canalização de córregos, R$ 1 milhão para áreas de risco e R$ 30 milhões para a coleta de lixo. Já a verba de publicidade, de R$ 126 milhões, foi preservada.

O corte nas verbas para ações antienchente ocorre num momento em que a cidade enfrenta, uma semana depois, os transtornos de um temporal ocorrido na terça-feira da semana passada. Ainda há ruas e casas alagadas em bairros do extremo leste de São Paulo.

Atendimento

A peça aprovada ontem reduziu, em relação à primeira proposta, R$ 15 milhões da verba destinada ao sistema da prefeitura encarregado do atendimento aos cidadãos. Hoje, a principal responsável pelo serviço é a Call Tecnologia, que está envolvida em escândalo no governo de José Roberto Arruda (DEM), no Distrito Federal.

O valor para o serviço caiu de R$ 45 milhões para R$ 30 milhões. A prefeitura já havia informado que a verba será usada para melhorar o sistema, mas não será necessariamente por meio de contratos com a Call.

Nenhum comentário:

Postar um comentário